A intencionalidade da prova de redação ENEM

Preparar-se para a prova de redação ENEM demanda uma compreensão sobre o que a banca examinadora espera de você, enquanto produtor de texto, no cenário de uma prova desenvolvida pelo Governo Federal, ou seja, faz-se necessária a identificação da intencionalidade do exame. Após a identificar, durante a escrita, você deve observar, pontualmente, certos objetivos e propósitos para que seu texto atenda aos critérios utilizados pela Banca.

Analisando as últimas propostas da prova de redação ENEM, é possível reconhecer a presença de muitos temas em que predominam os problemas sociais. Essas temáticas envolvem assuntos objetivos e partilhados na vida concreta. Portanto, para desenvolvê-los, é essencial a utilização de uma linguagem simples, direta e objetiva, a fim de os contornar de modo responsivo à intencionalidade.

O que é intencionalidade?

Ao suscitar as instruções para redação, os textos motivadores e o tema a ser desenvolvido, a prova de redação ENEM, além de definir o assunto sobre o qual deve-se redigir, delineia os parâmetros e as intenções que nortearão o seu texto.

Por isso, lembre-se de que na prova de redação ENEM é cobrado o gênero dissertativo-argumentativo. Assim, é imprescindível a defesa da sua tese diante do problema social exposto. Essa parece ser uma tarefa fácil, não é?

Porém, para atingir a nota máxima na redação ENEM, diferenciando-se de seus concorrentes, você deverá demonstrar o domínio de algumas técnicas que, quando claras e simples, encantarão o corretor de seu texto.

Quais são as melhores técnicas para compor um texto encantador  e convincente dentro do gênero dissertativo-argumentativo?

Aqui, nesta série de artigos produzidos pela parceria Studos + Método Radlinski, compartilharemos ferramentas e sugestões especiais para pôr em prática a escrita da melhor redação da sua vida!

Mas, enquanto aprende um pouco mais sobre o texto argumentativo-dissertativo, não deixe de apreciar outros tipos de textos, sejam notícias, filmes, músicas, podcasts, séries, romances, poemas, documentários, entre outros, … . Pois, como veremos mais adiante, outros tipos de textos podem ser empregados como referências e inspirações para a  produção da redação ENEM.

Neste artigo, serão abordados dois pontos fundamentais a partir da intencionalidade identificada: a) a estrutura do texto a ser redigido; e b) a exploração temática.

A estrutura do texto dissertativo-argumentativo para uma redação ENEM

Não é novidade para ninguém que, para redigir um texto dissertativo-argumentativo, é necessário dividi-lo em a) introdução, b) desenvolvimento e c) conclusão. Essa é a estrutura básica do gênero textual em questão. Porém, para alcançar a tão sonhada nota 1000 na prova de redação ENEM, vale a pena dar um passo para além do comum: até porque o simples não equivale, necessariamente, ao banal!

Por isso, utilizando-se das técnicas assertivas desenvolvidas no Método Radlinski, criado pelo professor de redação Everaldo Radlinski, aprenderemos um pouco, neste artigo, sobre uma estrutura textual para a  introdução com a mostra de como podemos conduzi-la, de tal modo que seu texto seja capaz de fisgar o leitor.

Esquematizando a estrutura da introdução

Nesse momento inicial, sublinhamos a necessidade de desenvolver uma escrita objetiva desde a introdução do seu texto. Esse é o momento de debruçar-se sobre o problema suscitado pela prova a fim de que a sua introdução, bem como o restante de seu texto, certifique o seu domínio da Competência 2, a competência de leitura e compreensão da temática proposta com um repertório sociocultural bem rico, um dos fatores que guiam a avaliação do exame. Isto posto, baseando-se do Método Radlinski, desenvolver-se-á uma introdução a partir da seguinte estrutura:

Inspiração. + Ponte, + Tema + Divisão de tema a) + e, ainda, + Divisão de tema b) + Comentário final.

O que é a Inspiração?

No Método Radlinski, denomina-se como “inspiração” a parte inicial da redação, em que você comporá o contexto que prepara o “chão contextual” para a tese. Aqui, são válidas referências como notícias, citações advindas de obras ficcionais, documentários, entre outras informações.

De acordo com o professor Everaldo Radlinski, para a redação ENEM 2019 são esperados temas como “A redescoberta do patriotismo no Brasil” ou “A pluralidade da identidade nacional”. Essas são temáticas que, em virtude da eleição de Jair Bolsonaro, cujo slogan é “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, envolve muito o Governo Federal. Dessa maneira, quais referências podem ser utilizadas para uma redação sobre patriotismo? É possível dizer que o nosso “formoso céu, risonho e límpido” é o limite?

Pensando em uma inspiração mais poética ou artística, podemos incluir, na introdução, citações, tais como o seguinte trecho, retirado da música “Língua”, de autoria do cantor brasileiro Caetano Veloso:

Se você tem uma idéia incrível é melhor fazer uma canção
Está provado que só é possível filosofar em alemão
Blitz quer dizer corisco
Hollywood quer dizer Azevedo
E o Recôncavo, e o Recôncavo, e o Recôncavo meu medo
A língua é minha pátria
E eu não tenho pátria, tenho mátria
E quero frátria
Poesia concreta, prosa caótica
Ótica futura
Samba-rap, chic-left com banana

Além desta citação, também é válido o poema do autor brasileiro Olavo Bilac, intitulado “A pátria”:

A pátria

Ama, com fé e orgulho, a terra em que nasceste!
Criança! não verás nenhum país como este!
Olha que céu! que mar! que rios! que floresta!
A Natureza, aqui, perpetuamente em festa,
É um seio de mãe a transbordar carinhos.
Vê que vida há no chão! vê que vida há nos ninhos,
Que se balançam no ar, entre os ramos inquietos!
Vê que luz, que calor, que multidão de insetos!
Vê que grande extensão de matas, onde impera
Fecunda e luminosa, a eterna primavera!

Boa terra! jamais negou a quem trabalha
O pão que mata a fome, o teto que agasalha…

Quem com o seu suor a fecunda e umedece,
Vê pago o seu esforço, e é feliz, e enriquece!

Criança! não verás país nenhum como este:
Imita na grandeza a terra em que nasceste!

Ou, para quem quer produzir inspirações mais factíveis, são plausíveis notícias como a reportagem produzida pela revista Istoé, referente às ações comemorativas do Governo Federal no dia da Independência do Brasil, em 7 de setembro de 2019. Clique aqui e veja a reportagem completa.

A Estrutura da Inspiração

Considerando que a introdução ocupará seis a sete linhas das trinta disponíveis na Folha de Redação, é possível elaborar a inspiração no espaço de uma a quatro linhas. Como realizar tal tarefa num tempo de aproximadamente oito minutos? Bom, você já pode dar o start no seu cronômetro e vamos embora atrás do sucesso!

Para começar, você utilizará a seguinte fórmula, retirada do Método Radlinski:

MA, + S + V +C1 + C2 + C3.

Neste esquema, as legendas correspondem às seguintes ferramentas:

MA

Marca de Autoria; aquilo que, no Método Radlinski, denomina-se como “pedaço de texto”, isto é, uma maneira de articular as palavras que imprime a sua personalidade na escrita.

S

O sujeito das orações iniciais.

V

Um verbo que, se conjugado no pretérito mais-que-perfeito, enriquecerá o contexto preparado na inspiração. Do mesmo modo que a Marca de Autoria, essa conjugação específica do verbo revela um olhar apurado para a linguagem, caracterizando aquilo que, nos estudos linguísticos, chama-se estilo. Tal conjugação estrutura verbos terminados em “ra”: cristalizara, suscitara, disseminara, entre tantos outros.

C1, C2 e C3

Complemento(s), termos empregados para completar o sentido da oração. Sendo que os complementos dois e três são opcionais.

Assim, uma das possibilidades de iniciar a introdução a partir de inspirações como o  poema de Olavo Bilac materializa-se nas seguintes orações:

Sob um nacionalismo seminal, o poeta brasileiro Olavo Bilac poetizara: “Imita na grandeza a terra em que nasceste”.

Ponte

Para dar sequência à introdução, seguindo o esquema proposto pelo Método Radlinski, partiremos para a “ponte”, ou seja, a parte da tese que conectará a inspiração ao tema e que poderá ser assim formulada:

Ponte, + adjetivo + Tema

Denomina-se por “ponte” o termo que antecede o tema e as divisões de tema a) e b). Três são as maneiras de formular a ponte da introdução em que duas delas permitem a originalidade da criação textual. No Método Radlinski, são sugeridas pontes que, se exercitadas, adiantarão seu trabalho na hora da prova, de forma que cumprirá a meta de oito minutos para redigir a introdução. Desse modo, podem-se inserir, novamente, as Marcas de Autoria (Sob … , Ante o … , Perante a … , Face ao … ,) ou, ainda, uma das pontes mais clássicas do Método como o [ De…, até… , ], comparativo por grandeza ou por história.

Em continuidade à introdução, a partir da música de Caetano, ilustra-se a ponte da seguinte maneira:

“Da violentação dirigida às vidas nativas de Pindorama, até as políticas entreguistas do território nacional, […]”

Contudo, como dito anteriormente, há muitas outras maneiras de compor a ponte, de modo que uma delas é aquela que, no Método Radlinski, denomina-se Frase Nominal (FN), e que pode ser assim estruturada: “Um + substantivo +, advérbio terminado em -mente + adjetivo”. Aqui, fique ligado para não perder as vírgulas no caminho!

Divisão de tema a) e b)

Agora, o tema, lembremo-nos de que a utilização de adjetivos abrilhanta a sua escrita e ainda transparece, sutilmente, a sua opinião sobre o assunto. Nesse sentido, vale dizer que o arranjo dos adjetivos também surte efeitos de sentidos diferentes: se adicionado após o sujeito/substantivo, o adjetivo ocasiona uma significação objetiva: um ‘homem pobre’ é um homem sem dinheiro; só que, por outro lado, dizer ‘pobre homem’, remete-nos a uma significação subjetiva, pois o pobre homem pode ser um coitado, mesmo sendo rico financeiramente.

Portanto, estruturamos o início da tese, com um contexto e uma ponte. E agora, pós-vírgula, vem o tema, diretamente, do comando caracterizado com um adjetivo anteposto:

, . . .  “o louvável sentimento de patriotismo, no Brasil,” . . .

Dessa maneira, temos o terreno pronto para as divisões a) e b) que retomam o tema por meio de verbos:

“ . . . retratam os desafios de viver na grandiosa (e nem tão gentil) pátria e, ainda, incitam o (re)pensar e o valorizar de ações resgatadorasde um patriotismo desvirtuado pelo olhar do estrangeiro”.

Logo, percebe-se que as divisões de tema a) e b), antecedidas de verbos no presente, atendem às indispensáveis partes da introdução em que serão abordados o problema (a) e a ideia que antevê a solução (b)  a ser deslindada ao longo do desenvolvimento e da conclusão. Conduzindo a redação a partir de sugestões próprias do Método Radlinski, experimente, também, dispor as divisões entre expressões como [ . . .  tanto… , quanto … ].

Comentário final

Se a introdução fosse um bolo, o comentário final poderia ser considerado como a cereja. Esse é o momento de arrematar todas as ideias suscitadas ao longo da parte inicial da redação. Portanto, em concordância com o Método Radlinski, aqui valem as orações que, em continuidade às divisões de tema, podem ser antecedidas com um travessão ( — …  ) seguido de frase verbal ou de palavra de finitude (Logo, ou Assim, ou ainda, Marca de autoria original, … )

Para ilustrar os efeitos de sentido gerados por esse comentário final, analisemo-lo inserido na totalidade da introdução aqui desenvolvida:

Sob um ufanismo seminal, poetizara o poeta brasileiro Olavo Bilac: “Imita na grandeza a terra em que nasceste”. Da violentação dirigida às vidas nativas de Pindorama, até as políticas entreguistas do território nacional, o louvável sentimento de patriotismo, no Brasil, retrata os desafios de viver na grandiosa (nem tão gentil) Pátria, e, ainda, incita o (re)pensar e o valorizar de ações resgatadoras de um patriotismo desvirtuado pelo olhar do estrangeiro. Logo, o nobre pertencimento à terra-mãe significa genuína brasilidade! 

O que você achou desta introdução e de seu processo composicional? A composição da redação é sobre práticas de leitura e escrita. Por isso, são imprescindíveis os exercícios dos procedimentos propostos pelo Método Radlinski, um método que fomenta a confiança necessária para mandar “super” bem na hora da prova.

Imagine que, pensando na intencionalidade da prova de redação ENEM, sua redação é como um edifício, uma estrutura simples e que atende aos objetivos concretos da habitação. Embora simples, a arquitetação desse edifício exige a utilização de ferramentas e técnicas refinadas que, se dominadas, garantirão a segurança da construção e os resultados buscados pela edificação do imóvel, neste caso, nota 1000!

Aqui, neste artigo produzido pela parceria Studos + Método Radlinski, foram disponibilizadas algumas das técnicas e ferramentas que servirão de alicerces e bases para uma redação nota 1000. Com uma boa base, você poderá partir para a próximas etapas de escrita da sua redação. Se você quer mais instrumentos e materiais para arquitetar o seu texto de maneira confiante e segura, continue acompanhando-nos em nossas redes.

Studos: o melhor aplicativo para você estudar e tirar uma nota 1000 no Enem