ENEM 2021: qual o papel da escola na reta final

O apoio da coordenação pedagógica e dos professores faz toda a diferença para os alunos que se preparam para o ENEM 2021.

Com o ano letivo quase no fim, chegamos à reta final de uma das provas mais aguardadas — e temidas — pelos alunos que estão concluindo o ensino médio: o ENEM. O Exame Nacional do Ensino Médio, que surgiu como uma forma de avaliação dos conhecimentos dos alunos que estão concluindo a Educação Básica é, hoje, uma das principais portas de entrada dos estudantes brasileiros para o Ensino Superior. Em 2021, as provas serão realizadas nos dias 21 e 28 de novembro no formato físico e digital, mantendo apenas a prova de redação no formato impresso.

Desde 2010, com a implementação do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Enem passou a ser mais importante que muitos vestibulares tradicionais, substituindo vários deles. Por isso, não é preciso dizer que a disputa é acirrada e exige dos estudantes, além do domínio dos conteúdos, o preparo mental e físico. 

A escola tem um papel fundamental neste processo de preparação. Instituições e educadores precisam investir em estratégias pedagógicas que levem em conta as exigências e particularidades do exame.

Veja como contribuir para que os alunos cheguem mais seguros para enfrentar a maratona de dois dias de provas.

1 → Aplicação de simulados

Os simulados são uma das melhores formas da escola preparar os estudantes para o que eles vão encontrar no ENEM 2021. Mais do que colocar à prova os conteúdos aprendidos durante o ensino médio, os simulados ajudam a preparar os alunos emocionalmente e permite que eles identifiquem seus pontos fortes e fracos relacionados à:

Gestão de tempo

O ambiente de sala de aula, onde os alunos estão relaxados e sem a pressão do tempo, é muito diferente daquele que eles vão encontrar no dia da prova. Por isso, fazer simulados para aprender a administrar o tempo investido em cada questão é fundamental. Afinal, ninguém quer chegar ao final da prova com questões deixadas em branco por falta de tempo.

Cuidado com o corpo

Não é só a mente que precisa estar preparada para as provas: o corpo também. Os alunos ficam horas sentados, então também precisam saber a hora de fazer uma breve pausa para ir ao banheiro, tomar água e esticar as pernas. Isso é importante para aliviar um pouco a tensão e reorganizar os pensamentos, e ter essa vivência nos simulados ajuda o aluno a ter mais consciência do seu corpo no dia da prova.

Preparo emocional

Enfrentar uma maratona de provas somada à pressão por um bom resultado é exaustivo para qualquer aluno. Fazer simulados é uma forma de ele conhecer suas forças e fraquezas e se sentir mais confiante em relação ao teste. Afinal, ele vai saber no que precisa melhorar e para onde deve direcionar os seus esforços antes de chegar à prova real.

Leia também: Como criar um calendário de simulados na sua escola

2 → Intervenções pedagógicas

Investir em intervenções pedagógicas que levem em conta os conteúdos mais cobrados do ENEM é de grande ajuda para preparar os alunos para as provas. Mas você sabe como fazer?

1) Analise as maiores cobranças de cada disciplina

Comece identificando os conteúdos e habilidades mais cobradas em cada disciplina. A partir daí, repasse essas informações para os coordenadores e área e professores responsáveis.

2) Avalie o desempenho dos alunos

A partir da primeira análise feita, elabore atividades no padrão do ENEM (texto base + 5 alternativas, contemplando apenas uma habilidade da Matriz de Referência) para avaliar o desempenho dos alunos em relação aos conteúdos e habilidades mais cobradas.

3) Escolha um formato para aplicar a atividade

Além das tradicionais atividades impressas, também é possível optar pela aplicação de testes online. Aqui é preciso avaliar questões referentes a custos (que costumam ser bem maiores em materiais impressos) e praticidade de desenvolvimento, aplicação e correção.

4) Correção e tabulação

Levantar, organizar e quantificar dados é fundamental para que educadores consigam guiar os alunos em suas dificuldades. Aqui, as atividades online saem na frente: a correção pode ser feita de forma automática, assim como a geração de gráficos e estatísticas precisas sobre o desempenho do aluno (tarefa que se torna muito mais complexa se a análise é feita manualmente).

5) Analisar resultados e aplicar as intervenções pedagógicas adequadas

Já sabe quais são os principais pontos de atenção? Quais turmas e alunos apresentam mais dificuldades e quais habilidades precisam ser melhor trabalhadas? Então é hora de aplicar as intervenções pedagógicas mais adequadas para cada situação. Prepare aulas de revisão focadas nas dificuldades, invista em atividades voltadas para as habilidades que mais contabilizaram erros e estimule os alunos a apontarem suas dúvidas. E, claro, não deixe também de valorizar os acertos e os alunos que tiveram um bom desempenho.

3 → Utilização de dados na estratégia ENEM

Como vimos até aqui, coletar informações sobre o desempenho dos alunos enquanto eles simulam uma prova real do ENEM nos proporciona dados mais realistas sobre o que eles dominam e o que têm dificuldades. Mas você sabe a melhor forma de utilizar essas informações?

Quem conta com soluções digitais para levantar e analisar esses dados já sai na frente. Na Studos, tanto alunos quanto professores têm um retorno em tempo real sobre desempenho, além de relatórios completos que ajudam a guiá-los na hora de estruturar um plano de estudos. Para o educador, a solução permite a tomada de decisões voltada para uma turma ou uma série, assim como fornece insumos para trabalhar em cada caso individualmente. O acesso aos dados também permite que o educador realize as intervenções pedagógicas de forma mais assertiva, despendendo menos tempo do que se precisasse tabular tudo à mão.

A ferramenta também conta com um recurso que faz toda a diferença para quem se prepara para o ENEM: dados sobre o tempo gasto em cada questão. Se souber como utilizar esses dados, o estudante vai ter muito mais consciência no dia da prova para gerenciar o seu tempo, e isso sem dúvida ajuda a diminuir a ansiedade no decorrer da prova.

O final do Ensino Médio é um período de muitas incertezas e inseguranças. Além de preparar os alunos para o ENEM, busque estimular os alunos a compartilharem sobre como está sendo essa fase. Assim, vocês podem pensar juntos em formas de tornar a rotina de estudos mais leve e essa fase bem menos assustadora.

Leia também:

5 ferramentas para melhorar o engajamento escolar

O que é e como funciona a Studos

Quais os maiores desafios dos professores na atualidade