Censo da educação superior: o que é e importância

Avaliar aspectos ligados à educação superior é fundamental para melhorar a qualidade do ensino oferecido nas instituições de nível fundamental e médio.

Os gestores à frente de instituições de ensino fundamental e médio entendem bem o desafio de sobreviver em meio ao cenário competitivo da educação. Neste contexto, conhecer e analisar os indicativos ligados à situação atual da educação no Brasil pode contribuir de forma significativa na definição de metas e estratégias organizacionais.

Todos os anos o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC), realiza levantamentos e divulga dados sobre o sistema de ensino como um todo no país. O Censo da Educação Superior é um desses indicativos. Ele permite que acompanhemos as políticas do setor, assim como seus participantes.

O Censo também contribui para o cálculo de indicadores da qualidade da educação, como o Cálculo Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos (IGC). Dados como esses servem como base para avaliar a qualidade das instituições de ensino superior. Mesmo que não estejam diretamente ligados ao ensino fundamental e médio, dão um panorama importante para auxiliar na construção de ações e melhorias para a sua instituição.

Confira neste artigo como o Censo da Educação Superior funciona e como você pode usar esses dados a favor do seu negócio.

MENU DE NAVEGAÇÃO

1 → O que é o Censo da Educação Superior

2 → Todas as instituições de ensino superior devem participar do Censo?

3 → A importância do censo para minha instituição

4 → Benefícios Como usar os dados do censo a favor do seu negócio

1 → O que é o Censo da Educação Superior

O Censo da Educação Superior é um instrumento de pesquisa aplicado anualmente pelo Inep. Esse censo abrange todas as instituições de educação superior (IES) que ofertam cursos de graduação (presencial ou à distância) e cursos sequenciais, o que inclui desde universidades, faculdades e centros universitários até Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) e Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets).

O principal objetivo dessa coleta é fornecer informações detalhadas sobre a situação do setor, tanto à comunidade acadêmica quanto à sociedade em geral. Ela é realizada a partir do preenchimento de questionários por parte das instituições, que são posteriormente importados para o Sistema e-MEC.

Após validações, correções e conferências, o Censo é finalizado. As informações são divulgadas pelo InepData em forma de Sinopses Estatísticas e Microdados, a fim de manter a transparência dos dados coletados e torná-los acessíveis à população.

2 → Todas as instituições de ensino superior devem participar do Censo?

As instituições de ensino superior têm obrigatoriedade legal de fornecerem os dados exigidos pelo Censo da Educação Superior. A participação, inclusive, é pré-requisito para que essas instituições possam exercer atividades como:

  • A participação no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES;
  • Adesão ao Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) e ao Programa Universidade para Todos (PROUNI);
  • Participação nos programas de bolsas mantidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – CAPES e;

  • Autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento da instituição.

3 → A importância do censo para minha instituição

“Ok, mas por que o Censo da Educação Superior é importante para a minha instituição de ensino básico e médio?”

Pode não fazer muito sentido em um primeiro momento, mas conhecer os dados divulgados pelo Censo é um indicativo importante de melhorias nas quais o sistema educacional como um todo deve trabalhar.

Altas taxas de desistência de alunos do ensino superior reforçam a importância de investir em mudanças no ensino médio, por exemplo. Quando não têm uma base forte durante os anos escolares, os estudantes acabam chegando no ensino superior despreparados e acabam desistindo de continuar o curso.

A falta de orientação vocacional pode ser outra lacuna que repercute diretamente na evasão futura dos alunos. Muitas escolas acabam focando apenas na preparação para os processos seletivos, sem investirem em ferramentas que auxiliem na difícil escolha sobre qual carreira seguir. Sendo assim, ao se depararem com um curso que não atende às suas aptidões e desejos, eles acabam se frustrando e desistindo de continuar.

4 → Como usar os dados do censo a favor do seu negócio

Orientação para o plano de ensino

Acompanhar os dados do Censo da Educação Superior pode ajudar no desenvolvimento do plano de ensino de educadores do ensino fundamental e médio, já que permite a análise das possíveis dificuldades dos alunos e orienta sobre os possíveis pontos de atenção.

Oferecer orientação vocacional

Várias escolas já progrediram nesse sentido, mas muitas ainda não oferecem esse tipo de direcionamento para seus alunos. Além de ajudá-los a tomar decisões mais conscientes no futuro, oferecer orientação vocacional na sua instituição pode representar um diferencial competitivo importante na hora de buscar e reter alunos.

Conhecimentos integrados

Muitos alunos que concluem o ensino médio possuem problemas de leitura, interpretação, escrita e resolução de problemas básicos de matemática. Dificuldades assim podem ter origem na base da educação que foram sendo deixadas de lado até se tornarem mais evidentes durante e após o ingresso no ensino superior.

Ao rever a estrutura de ensino buscando diminuir a fragmentação do conhecimento, é possível trabalhar de uma forma mais coesa e integrada na formação do pensamento crítico do aluno. Dessa forma, ele conseguirá entender de uma forma mais realista as demandas acadêmicas que irá enfrentar no futuro.

Leia também:

Link post O que é taxonomia de Bloom

Ebook: Como avaliar o desempenho dos alunos com a Studos

Plano de ação escolar: como traçar objetivos