Me sinto perdido(a) nos meus estudos, por onde recomeçar? Será que ainda dá tempo?

Como é bom começar um novo semestre nas escolas e nos pré-vestibulares!!
Ver toda a galera animada e super empolgada com os seus objetivos, planejando a rotina de estudos e participando em peso das aulas de mentoria, é super gratificante para nós, educadores.
Mas, infelizmente, o que vemos é: passados 4 semanas, a produtividade dessa galera cai demais, muitos alunos já não conseguem acompanhar mais a história da aula dada, aula estudada e acabam sorteando os conteúdos que acham q devem estudar para se darem melhor na prova e compensar aquelas matérias que já não acreditam que possam se dar bem no vestibular.
Se você, vestibulando, se identificou com o parágrafo acima, saiba que ainda tem solução para aqueles objetivos do início do semestre. Não desanime, vamos em frente e sempre com muito mais pensamentos positivos do que negativos. Então, vamos lá! Quais seriam as minhas dicas para você se dar bem no vestibular que está cada vez mais próximo.
DICA 1 – Resolva as provas do vestibular que você irá fazer.
DICA 2 – Observe e monte um quadro destacando quais assuntos foram mais cobrados nos últimos 5 vestibulares em todas as disciplinas.
DICA 3 – Acompanhe os principais acontecimentos do momento no Brasil e no mundo. Os temas da redação tem valorizado muito atualidades.
DICA 4 – Use um aplicativo para dar foco aos pontos fracos. No Studos App, disponível em todas as webstores, você pode resolver as provas do vestibular. Os conteúdos estão separados por ano, banco de questões com mais de 4 milhões de questões resolvidas, segmentadas por matéria, assunto, nível de dificuldade, comparando teu desempenho com as metas de classificação do curso. Os resultados são instantâneos, e você pode analisar seus pontos fortes e fracos.
DICA 5 – Reorganize sua agenda para as minhas DICAS e não esqueça de desligar o celular nas horas que estiver estudando, se desconecte das redes socias durante o seu momento de treino. Não deixe que nada faça você perder o foco nesta reta final!
Bons #Studos!

Será que esse ano eu consigo passar no vestibular?

Creio que essa é uma das perguntas mais angustiante e super frequente entre os estudantes que estão ralando muito para ingressarem nos vestibulares mais concorridos. Aquele estudante que já investiu dois ou três anos da sua vida nos cursos pré-vestibulares, começar mais um ano sem a certeza ser aprovado é uma tempestade mental.
Então, o que pensar a respeito dessa tempestade mental?!
Bem, o que eu sempre falo aos meus alunos quando esse assunto vem à tona é o seguinte: primeiro, um ano de estudos focado e dedicado ao vestibular nunca é um ano em vão ou perdido. Você não foi aprovado, certo, ok, mas tenha a certeza que você agregou muito conhecimento, ficou com o raciocínio mais veloz,esperto e ágil para encarar novos desafios, neste caso, chamado de vestibular.
Em várias situações, gosto muito de comparar o vestibulando ao atleta campeão e, aqui,a analogia que eu quero fazer é com a daquele atleta que conseguiu se campeão depois de muitos anos competindo num determinado circuito. É raro um campeão ser campeão na primeira temporada. Enfim, quem quer alcançar o pódio tem que acreditar muito num sonho, mas acreditar só no sonho não resolve, também são necessárias boas doses diárias de muito treino, foco e dedicação. Eu vejo a vida de um vestibulando campeão muito parecida com a vida do atleta campeão, ou seja, é preciso muito foco, dedicação e treino (que significa resolver centenas de questões), são qualidades que não podem deixar de fazer parte do dia a dia do estudante que sonha em conquistar a sua vaga tão concorrida na faculdade.
Então não comece um novo ano de estudos com o pensamento: será que esse ano eu consigo passar no vestibular? Comece um novo ano com o pensamento de um campeão mundial: quero treinar mais, quero ter mais foco e me dedicar muito, no seu caso, aos estudos.
Sucesso e Bons #Studos!

Gestores de escolas estaduais da Paraíba assinam termo de parceria com a plataforma Studos

Nove gestores das escolas estaduais Lyceu Paraibano, Olivina Olívia, Úrsula Lianza, Luiz Gonzaga Burity, CPDAC, Oswaldo Pessoa, Liliosa de Paiva Leite, Escolas Cidadãs Integrais Técnicas (ECIT) Padre Hildon Bandeira e de Bayeux assinaram na tarde desta quinta-feira (9), no auditório da ECIT de João Pessoa, um termo de parceria com a Plataforma Educacional Studos.
As escolas escolhidas participam de uma experiência piloto de utilização da plataforma educacional, que visa preparar os alunos da rede estadual da Paraíba para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Escolhemos essas escolas pelo trabalho desenvolvido no PBVest, com o objetivo de melhorar os nossos índices de aprovação no Enem e nos outros vestibulares, por isso participam apenas alunos da 3ª série do Ensino Médio”, destacou Wleika Quirino, da 1ª Gerência Regional de Educação.
Esta é a primeira vez que esta plataforma, criada em Santa Catarina pelos sócios Wilson Fernandes e Leonardo Prates, é utilizada para alunos da rede pública. “A Paraíba é o primeiro Estado a usar a nossa plataforma na rede pública de ensino”, contou Leonardo Prates, um dos responsáveis pela plataforma, destacando que ela já teve mais de 180 mil downloads.
Após a experiência com as nove escolas, a expectativa é que o projeto seja ampliado para todas as escolas de Ensino Médio da rede estadual. O aplicativo Studos foi apresentado aos gestores e professores das escolas e também foram solucionadas as dúvidas dos professores presentes. “Se os alunos hoje em dia utilizam o celular para acessar as redes sociais, por que não usar de forma produtiva, pra estudar e melhorar o seu desempenho?”, questionou Leonardo Prates.
“Por meio do Studos, os alunos da rede estadual da Paraíba poderão resolver questões das provas dos vestibulares anteriores e do Enem, sabendo ao final quais são seus pontos fortes, quanto tempo levou para resolver cada questão e onde precisa melhorar. Está disponibilizada uma média de 40 mil questões, separadas por assunto e por nível de dificuldade”, explicou Leonardo Frates.
Para utilizar a plataforma, os alunos das escolas participantes serão cadastrados pelos técnicos da escola, assim como os professores, que poderão criar atividades utilizando o aplicativo Studos. “Os professores poderão utilizar o aplicativo para passar tarefas para os alunos e ao final terão as informações, por meio de relatórios, de quais são os alunos que mais se destacaram, quais precisam melhorar e também a coordenação saberá quais são os professores mais engajados”, contou Leonardo Prates.
Wleika Quirino, da 1ª Gerência Regional de Educação, explicou que para obter o sucesso desejado é preciso o empenho de todos, principalmente dos professores. “Não adiantam os investimentos do Governo do Estado se o professor, que é quem está dentro da sala de aula, não tiver compromisso. Eu chamo todos os professores para ter esse compromisso, pois o sucesso do aluno é o sucesso do professor, do gestor e de todos nós!”, finalizou a gerente.
O professor Jaimes Campos, da Escola Estadual João Goulart, destacou a importância do uso do aplicativo Studos em sala de aula. “Esta plataforma vem para facilitar a vida do professor e do aluno, porque existem certas questões que são mais difíceis de elaborar e a plataforma em si facilita, porque oferece vários níveis de questões, fáceis, elementares, complexas, que levam o aluno a ganhar tempo, já tendo as questões nas suas mãos e tendo a noção onde é bom e onde precisa melhorar”, contou o professor.

A história da Bruna, aprovada em Psicologia na UFSC.

Bruna Soares é aprovada num dos vestibulares mais concorridos do Brasil para psicologia. Saiba agora como ela conseguiu realizar esse sonhos aos 18 anos de idade.

“Me chamo Bruna, tenho dezoito anos e passei na federal de Santa Catarina (UFSC) para psicologia. Sempre acreditei que exercitar fosse a maior forma de aprendizado, que conhecer como funciona o vestibular que você ira prestar e foi isso que o aplicativo Studos me proporcionou. Uma imensidão de vestibulares e provas para eu consultar a hora que eu quisesse. Fosse no celular ou no computador. Ao final de cada prova eu sabia onde estava falhando e, então, eu buscava apoio com meus professores e revisões da dada matéria. Sou do tipo que gosta de ter o papel na minha frente, rabiscar as questões, circular e grifar. O Studos também me ofereceu isso, a opção de impressão, que facilitava aquela estudada no ônibus na volta pra casa. Hoje, assinando a matricula na faculdade, olhando para trás, percebo que o Studos foi bom e essencial para a minha conquista.”

Parabéns Bruna e muito sucesso  🙂

studos cadastrar
Leia também:

Bruna – aprovada em Eng. de Petróleo, Mecatrônica e Medicina.

Bruna conta para o pessoal do Studos como passou para os vestibulares de:

Engenharia do Petróleo (UDESC),  Engenharia Mecatrônica em 6° lugar geral (IFSC), Medicina Unisul PB (Acafe),Medicina (PUC-RS) e Medicina (UFSC).

 “Acredito que o primeiro passo foi acreditar que eu conseguiria. E depois da minha última desaprovação eu acreditei realmente que aquele seria o ano da minha aprovação, e dessa forma, fiz tudo que pude para alcançar meu objetivo. Logo após eu não ter passado por menos de dois pontos, eu enxuguei as lágrimas e planejei como seria o meu ano, o que eu faria diferente e, como eu faria.

 Escolhi os cursiImagenhos que eu julgava serem os melhoes. Matriculei-me no extensivo matutino do COC Floripa, e fiz muitas disciplinas isoladas, divididas entre o primeiro e o segundo semestre. No primeiro semestre dei ênfase nas extas, e no segundo nas humanas. Fiz o curso de biologia no BioStudos, curso de física no G3, curso de química no Q2, curso de matemática no CEM, curso de gramática no Exato, curso de redação na Oficina da Palavra e curso de história no Ágora. Esses cursos extras foram essenciais para minha preparação – o número de alunos reduzido e a melhor atenção que o professor conseguia oferecer ajudou muito, principalmente as conversas antes do início de cada aula – todo esse incentivo blindaram e fortaleceram meu psicológico. E então, eu me mudei para o mais próximo possível do cursinho, podendo apenas atravessar a rua e estar lá.

 Passava a semana em uma república, que tinha todos os problemas que uma república com quatro meninas e um único quarto pode ter, mas nos finais de semana retornava para casa de meus pais onde conseguia recarregar as energias. Durante a semana eu costumava acordar 7h e voltar para casa apenas 23h30min. Minha rotina de estudos era praticamente todo esse intervalo de tempo, claro que com pausa para almoço, lanche e academia. Eu costumava ficar nas dependências do cursinho até 22h quando então parava de exercitar a mente e exercitava o corpo, algo que antes eu não adotava mas que se mostrou muito determinante na minha disposição e saúde. E apesar de todas as inúmeras aulas que eu tinha todos os dias, eu achava essencial conseguir um tempo para meu estudo sozinha, mas nunca em casa, considero o ambiente do cursinho muito mais propício para o estudo e a concentração.

 Já nos finais de semana praticamente não estudava, preferia ter uma rotina intensa durante a semana e vir para casa de meus pais somente para descansar. Claro que quando tinha simulados eu realizava, fiz todos simulados que os cursinhos que eu fazia ofereceram, sem exceção – acho muito importante esse treino. Desse modo, ao fim do ano eu me senti preparada, mas sempre com a humildade de saber que a prova poderia ser difícil, que eu poderia me deparar com algo que eu não soubesse, mas manter a calma foi decisivo. E assim, depois de toda a maratona de estudos, eu alcancei o objetivo que tracei no início de 2014.

 Uma frase inspiradora a qual eu gosto muito é a seguinte: “O fracasso quebra as almas pequenas e engrandece as grandes, assim como o vento apaga a vela e atiça o fogo da floresta” Benjamim Flanklin, portanto, umas das coisas mais necessárias é sempre lembrar o motivo pelo qual você luta por algo, para ao acordar ter forças suficientes para alcançar o sonho almejado.”