#1 Redação nota 1000: possível tema para o ENEM 2020

Sabe-se que a redação do ENEM é motivo de ansiedade e nervosismo entre a maioria dos estudantes, visto que sua nota possui grande peso e impacta diretamente no resultado do exame. Pensando nisso, a Studos, em parceria com o professor Everaldo Radlinski, realizará uma série de seis publicações com possíveis temas para redação do Enem 2020. O primeiro tema escolhido, que dá início a estas publicações em série, é “os desafios do combate aos maus-tratos para com os animais no Brasil”.

O material, cuja produção foi feita segundo o método Radlinski, conta com um dos temas para redação do Enem 2020, os textos motivadores e exemplos de repertório sociocultural que podem ser utilizados na construção do texto.

Os referidos exemplos contêm variados argumentos por autoridade, entre eles notícias e imagens, bem como um artigo de opinião pertinente ao tema. É importante salientar que você deve fazer um uso produtivo do repertório sociocultural, isto é, relacioná-lo ao tema proposto. É por meio dele que você mostrará seu conhecimento de mundo ao corretor, bem como sua capacidade de argumentação.

Para alcançar a tão sonhada redação nota mil na redação do Enem 2020, recomendamos a leitura do material na íntegra e, em sequência, o exercício da escrita.

MENU DE NAVEGAÇÃO

1 → Proposta ENEM

2 → Instruções

3 → Seleção de argumentos – Método Radlinski

1 → Proposta ENEM

Texto 1

Caso você presencie maus-tratos a animais de quaisquer espécies, sejam domésticos, domesticados, silvestres ou exóticos – como abandono, envenenamento, presos constantemente em correntes ou cordas muito curtas, manutenção em lugar anti-higiênico, mutilação, presos em espaço incompatível ao porte do animal ou em local sem iluminação e ventilação, utilização em shows que lhes possam causar lesão, pânico ou estresse, agressão física, exposição a esforço excessivo e animais debilitados (tração), rinhas, etc. –, vá à delegacia de polícia mais próxima para lavrar o Boletim de Ocorrência (BO), ou compareça à Promotoria de Justiça do Meio Ambiente.

A denúncia de maus-tratos é legitimada pelo Art. 32, da Lei Federal nº. 9.605, de 12.02.1998 (Lei de Crimes Ambientais) e pela Constituição Federal Brasileira, de 05 de outubro de 1988.

[Adaptado] World Animal Protection

Texto 2

[…] São considerados maus-tratos aos animais domésticos, como cães e gatos:

  • Manter os pets em lugares anti-higiênicos ou em locais que impeçam sua respiração, movimento ou descanso;
  • Deixar o cão ou gato exposto ao sol por longos períodos de tempo, ou, ao contrário, sem qualquer tipo de iluminação;
  • Obrigar o pet a trabalhos excessivos, inclusive em competições que possam causar pânico, estresse ou esforço acentuado;
  • Golpear, mutilar ou ferir voluntariamente qualquer órgão do pet (com exceção do procedimento de castração);
  • Não providenciar assistência veterinária em casos de acidentes ou de doença;
  • Não garantir alimento e água para o pet.
  • Abandono de cães e gatos. […] 

[Adaptado] Petz

Texto 3

[Adaptado] Senado

Sancionada lei que aumenta punição para maus-tratos de animais

Texto 4

Com o objetivo de frear os maus-tratos contra animais, o Presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta terça-feira (29) a Lei 1.095/2019, que aumenta a punição para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais. A legislação abrange animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos, incluindo, aí, cães e gatos, que acabam sendo os animais domésticos mais comuns e as principais vítimas desse tipo de crime. A nova lei cria um item específico para esses animais.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem, no Brasil, 29 milhões de domicílios com cães e 11 milhões, com gatos.

Agora, como define o texto, a prática de abuso e maus tratos a animais será punida com pena de reclusão de dois a cinco anos, além de multa e a proibição de guarda. Atualmente, o crime de maus-tratos a animais consta no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais 9.605/98 e a pena prévia de três meses a um ano de reclusão, além de multa.

[Adaptado] Governo do Brasil

Com base na leitura dos seguintes textos motivadores e nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre os desafios do combate aos maus-tratos para com os animais no Brasil, apresentando proposta de intervenção, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

2 → Instruções

1. Leia e observe atentamente a proposta. 

2. Evite copiar trechos dos textos apresentados. 

3. Ocupe as linhas de uma margem até a outra e observe o espaçamento adequado entre as palavras. 

4. Não escreva em versos, use linguagem clara e utilize a norma culta da língua portuguesa. 

5. Não se esqueça de dar um título à sua redação (facultativo na opção ENEM). 

6. Use caneta com tinta preta ou azul para transcrever seu texto do rascunho para a folha oficial de redação. 

7. Escreva com letra legível. 

8. Não serão corrigidas redações escritas a lápis nem redações na folha de rascunho, ou ainda, ilegíveis, ou as linhas escritas no verso ou fora do máximo permitido. 

9. Mínimo de 07 (sete) linhas ENEM e máximo de 30. 

10. Será atribuído zero à redação com fuga total do tema ou resultante de plágio, ou ainda, desobediência à estrutura dissertativo-argumentativa, impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação ou parte de texto desconectada do tema.

3 → Seleção de argumentos – Método Radlinski

Argumento por autoridade e raciocínio lógico:

Viva Bicho

Argumento por autoridade e raciocínio lógico:

Viva Bicho

Argumento por autoridade e raciocínio lógico:

FBA Microchip

Argumento por autoridade e raciocínio lógico:

FBA Microchip

Argumento por autoridade e raciocínio lógico:

Ministério Público do Estado do Pará

Argumento por autoridade e por ilustração real:

temas para redação enem 2020

PATRAM prende homem por maus-tratos a animais em Erechim

PATRAM [Patrulha Ambiental] de Erechim prende homem por maus-tratos a animais. O cachorro estava amarrado sem a coleira e a corda já havia rasgado a pele do cão. O homem foi preso e encaminhado ao presídio de Erechim. A PATRAM agradece ao veterinário Tiago de Lima da Clínica SÃO FRANCISCO por realizar o atendimento ao cão sem custos.

[Adaptado] Jornal Boa Vista

Argumento por autoridade e por ilustração real:

temas para redação enem 2020

A brutal morte de um cachorro vira-lata em um Carrefour leva o Brasil ao divã

“O animal representa uma natureza pura, sem ambiguidade. […]”, explica a psicanalista Vera Iaconelli

Os últimos dias vem sendo de enorme comoção desde que o vídeo da brutal morte de um cachorro vira-lata branco num supermercado Carrefour de Osasco, na região metropolitana de São Paulo, viralizou nas redes sociais. O animal foi espancado e envenenado por um segurança do local no último dia 28, conforme mostram as imagens da câmera de segurança do estabelecimento, e acabou não resistindo aos ferimentos. 

Internautas, ativistas pelos direitos dos animais, celebridades e políticos vem se manifestando publicamente contra o bárbaro crime, uma mobilização que fez com que cerca de 1,5 milhão de pessoas assinassem uma petição exigindo a punição do funcionário.

Artigo completo: El País

Artigo de opinião:

Dezembro Verde alerta sobre maus-tratos e abandono de animais

Durante todo este mês a campanha Dezembro Verde vai alertar a população sobre as graves consequências do abandono de animais e fomentar a guarda responsável dos bichinhos, geralmente cães e gatos que vagam nas ruas, após serem abandonados por seus tutores. Embora não haja estatísticas oficiais, uma estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que mais de 30 milhões de cães e gatos estejam em situação de abandono no Brasil. A campanha é promovida pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo (CRMV-SP).

Abandonar ou maltratar animais é crime previsto pela Lei Federal nº 9.605/98. Vale lembrar que uma nova legislação, a Lei Federal nº 14.064/20, sancionada em setembro, aumentou a pena de detenção que era de até um ano para até cinco anos para quem cometer este crime. Além disso, o rito processual passa à vara criminal, não mais ao juizado especial.

“A maioria dos animais abandonados não é resgatada e sofre com fome, doenças, exposição ao tempo, riscos de atropelamento e traumas que interferem em seu bem-estar mental e comportamento”, alerta a médica-veterinária Cristiane Pizzutto, presidente da Comissão Técnica de Bem-estar Animal (CTBEA) do CRMV-SP.

Outra questão grave são os prejuízos à saúde pública. “O abandono impacta diretamente na vida das pessoas, pois animais nas ruas causam acidentes de trânsito, prejudicam o turismo e afetam a saúde pública – devido às doenças que afetam tanto humanos quanto animais”, diz a médica-veterinária Rosangela Gebara, que integra a CTBEA/CRMV-SP.

Abandonos aumentam em dezembro

A escolha deste mês para a campanha está relacionada ao fato de que, neste período do ano, os casos de abandono aumentam de forma expressiva. “Acontece de famílias deixarem seus animais nas ruas, isentando-se da responsabilidade quando vão se ausentar para as viagens de férias e festas de fim de ano”, sinaliza Cristiane.

Segundo Rosangela, “trabalhos internacionais mostram que as principais causas de abandono são, em primeiro lugar, problemas no comportamento dos animais e, em segundo lugar, alterações na rotina de casa – aí entra a questão das viagens e mudanças de endereço.”

Mas, a pandemia também ajudou a aumentar esse número, destaca Rosangela. “Infelizmente soubemos que houve um aumento do número de abandono no início da pandemia, as pessoas ficaram com medo de que os animais pudessem transmitir o coronavírus. Na verdade, eles não transmitem, algumas espécies são tão vítimas quanto a gente, podem pegar o coronavírus da gente, mas não transmitem. Mas, por causa de algumas notícias sensacionalistas, as pessoas abandonaram os cães e gatos”

A médica veterinária destaca que atualmente o abandono tem acontecido por questões financeiras, as pessoas estão ficando sem recursos para cuidar dos animais domésticos. “Agora temos visto um maior número de abandono por conta da crise socioeconômica, as pessoas estão mudando de casa, de estado, perdendo seus empregos, e infelizmente isso acaba afetando e muitas pessoas abandonaram os animais por conta desta questão”, lamenta. 

Doenças em animais abandonados

Animais nas ruas, sem os devidos cuidados de saúde e higiene, também podem desenvolver as zoonoses, ou seja, doenças infecciosas transmitidas de animais para seres humanos e vice-versa. 

“Uma grande quantidade de animais nas ruas pode aumentar a incidência de algumas doenças que são transmitidas por vetores, por mosquitos, como a leishmaniose, doenças fúngicas, como é o caso das esporotricose nos gatos e a raiva, apesar que o Brasil tem um ótimo controle da raiva através da vacinação anual. Mas, em países onde não tem essa vacinação e grande animais nas ruas, acabam transmitindo a doença entre eles e às pessoas”, detalha Rosângela. 

A veterinária alerta sobre a importância de manter os animais seguros. “É preciso manter a guarda responsável, castrar os animais, mantê-los dentro de casa e nunca abandonar. Se o animal tiver qualquer problema de comportamento ou saúde procure ajuda, mas nunca abandone, porque o abandono causa um extremo sofrimento ao animal. Os animais, principalmente os cães, têm uma cognição de uma criança de três anos. Então imagina pegar uma criança de três anos e abandonar no meio de uma estrada, numa praça, imagina como é o sofrimento psicológico e físico desse animal diante do abandono!”, compara Rosângela.

Artigo completo: Agência Brasil

Quer aproveitar esse conteúdo e partir para a prática? Conte com as técnicas de escrita do Método Radlinski que temos aqui e nosso blog! Está preparado para escrever a redação da sua vida?

Leia também:

Como fazer a conclusão da redação ENEM

Desenvolvimento da redação ENEM

Introdução da prova de redação ENEM

Como começar uma redação ENEM